Eventos anuais

EIRAS

Festa em Honra do Divino Espírito Santo

Festas anuais que se celebra sempre no domingo de Pentecostes, embora os festejos se prolonguem por vários dias. Consta de parte religiosa, com celebração de missa solene e procissão pelas ruas da localidade de Eiras e Casais de Eiras, e parte profana, com cortejo de oferendas, leilão para ajudar a custear as despesas e arraial popular.

Cortejo do Imperador

Este cortejo encontra as suas origens, intimamente ligadas à terrível peste, que em 1569, devastou a Vila de Eiras. É um cortejo no género dos Impérios do Espírito Santo, que segundo se consta, foram instituídos pela Rainha Santa Isabel, em Alenquer.

Que se saiba, esta festa foi realizada continuamente até 1832, altura em que terá sido extinta. Consistia essencialmente num cortejo que seguia de Eiras ao Mosteiro de Celas, e daí, a Santo António dos Olivais.

O Imperador (homem bom da terra, escolhido pela Câmara) era coroado na Igreja Matriz, pelo pároco, com solenidade. Após a coroação, todo o séquito, constituído pela nobreza, a câmara e o povo, seguiam a cavalo e a pé, entoando cantigas, passando na Capela do Cristo seguiam depois até Celas. 

Aí chegados, eram recebidos pelas autoridades do convento, para entrega dos préstitos, com festividade, não faltando canções sagradas, (Te-Deum) cerimónias religiosas e beberete oferecido pelo convento, aos romeiros.

Seguiam depois para a Capela do Espírito Santo, em Santo António dos Olivais, onde continuavam os festejos, e o banquete partilhado por todos, com os farnéis levados desde Eiras.

O regresso era feito por S. Romão, Maínça, Lordemão, Redonda e Casais de Eiras, e terminava com um bodo, oferecido pelo Imperador a toda a população no Largo de Eiras.

Há alguns anos a esta parte, o Cortejo foi recuperado, com o apoio de várias organizações e particulares, que têm conseguido manter a tradição, que há tantos anos estava extinta. A recriação é o mais possível fiel às origens, com os romeiros a pé e a cavalo, trajados a rigor, com indumentárias idênticas às usadas antigamente. Os farnéis são levados em cestos à cabeça, tal qual se fazia no início, e o trajecto mantêm-se praticamente, o mesmo de sempre.

Nos últimos anos foi introduzida uma peça de teatro, levada à cena na Igreja Matriz, bem como no parque do Escravote,  alusiva a conhecida ligação da Rainha Santa Isabel, com a localidade de Eiras.

\Dia da extinta Freguesia – São Tiago, Orago de Eiras  

Celebra-se no dia 25 de Julho de cada ano, com arruada de gaiteiros, missa solene e arraial habitualmente acompanhado de eventos culturais e tradicionais.

Festas dos Santos Populares

Realizadas em Junho, nos dias dedicados aos Santos Populares, pela comissão de Festas do Divino Espírito Santo recentemente empossada, constituem um dos mais visitados eventos da Freguesia. Vulgarmente chamadas “fogueiras”, são já famosas na região, pela sua qualidade e grandiosidade.

Festas em Honra de São Pedro 

Organizadas pela Comissão de Festas, no Ingote, no final de Junho, consta de procissão e arraial popular que se pode estender por mais de um dia.

Encontro de Cantares Populares

Evento organizado pelo Grupo Folclórico e Etnográfico do Brinca-Eiras-Coimbra, que conta com a participação de diversos grupos de folclore convidados. Realiza-se habitualmente na segunda semana de Junho, na escadaria da Igreja Matriz.

Troca de Saberes e Tradições Populares 

Organizado pelo Grupo Folclórico e Etnográfico do Brinca-Eiras-Coimbra, no Bairro do Loreto, em Julho, conta com grupos convidados, e consta de danças e cantares de folclore, em espaço criado para o efeito, tendo por fundo, recriações em cenário, de motivos com interesse histórico da freguesia (Casas antigas, capelas, ribeira, etc).

Mercado das Faniqueiras 

Igualmente organizado pelo Grupo do Brinca, este evento que se realiza no terreiro da Fonte em Setembro, consiste na recriação dos mercados, da forma como eram realizados antigamente. Aqui se vendem os artigos oriundos das colheitas agrícolas, bem como iguarias da doçaria regional. As vendedeiras trajam a rigor, com fatos idênticos ao usados nos tempos antigos, quando se dizia que “andavam ao fanico”, ou seja a recolher os produtos para vender no mercado.

Casamento à moda antiga de D. Maria da Paz e de José Silva  

Evento levado a efeito pelo Grupo Folclorico do Brinca, na Igreja Matriz de Eiras.

SÃO PAULO DE FRADES

As festas, romarias e outros certames, momentos excepcionais de fé, alegria e diversão popular animam o calendário anual desta Freguesia, de acordo como o seguinte programa.

- Festas de São Frutuoso, no mês de Abril, em Lôgo de Deus;

- Festas Comemorativas do 25 de Abril, em Vale da Luz naquele dia;

- Festa em Honra de N. Sr.ª dos Milagres, no mês de Junho, na Cova do Ouro e Serra da Rocha;

- Festas em honra de Nossa Senhora da Assunção, no dia 15 de Agosto, em Golpe,

- Festas dedicadas a São Sebastião,  Nossa Senhora do Rosário ou São Paulo, em São Paulo de Frades, na primeira semana de Setembro.

- Festa de Nossa Senhora da Lapa, na primeira ou na segunda semana de Setembro, no lugar de Dianteiro,

- Festa em honra de Nossa Senhora do Desterro, que decorrem na ultima semana de Setembro, na povoação de Lordemão.

- Festa em honra de Nossa Senhora da Conceição em Logo de Deus, a 8 de Dezembro.